Arquivo | Ações e Trabalhos RSS feed for this section

Prevalência do uso de drogas no mundo permanece estável, diz Relatório Mundial sobre Drogas do UNODC

25 ago

26 de junho de 2014, Viena – A prevalência do uso de drogas no mundo permanece estável, segundo o Relatório Mundial sobre Drogas 2014 do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC). Cerca de 243 milhões de pessoas, ou 5% da população global entre 15 e 64 anos de idade, usaram drogas ilícitas em 2012. Usuários de drogas problemáticos, por outro lado, somaram por volta de 27 milhões, cerca de 0,6% da população adulta mundial, ou 1 em cada 200 pessoas.
Durante o lançamento do relatório em Viena hoje, no Dia Internacional Contra o Abuso de Drogas e o Tráfico Ilícito, o Diretor Executivo do UNODC, Yury Fedotov, chama atenção para um foco maior na saúde e nos direitos humanos de todos os usuários de drogas, especialmente daqueles que fazem uso de drogas injetáveis e que vivem com HIV. “Ainda existem sérias lacunas na prestação de serviços. Nos últimos anos, apenas 1 em cada 6 usuários de drogas no mundo teve acesso ou recebeu algum tipo de tratamento para dependência de drogas a cada ano”, diz ele, ressaltando que 200 mil mortes relacionadas a drogas ocorreram em 2012.
O chefe do UNODC afirma que o sucesso sustentável no controle de drogas requer um firme comprometimento internacional. Uma abordagem balanceada e compreensiva que se direcione tanto à oferta quanto à demanda deve ser apoiada por respostas baseadas em evidências, focando na prevenção, no tratamento, na reabilitação social e na integração. “Isso é particularmente importante na medida em que estamos nos aproximando da Sessão Especial da Assembléia Geral da ONU sobre o problema das drogas em 2016”, diz Fedotov. Ele também chama atenção para o fato de que substâncias controladas devem ser mais amplamente disponibilizadas para fins médicos, inclusive para garantir o acesso à medicação para a dor, evitando seu uso indevido e desvio para fins ilícitos.
Substitutos de opioides, diminuição da oferta global de cocaína e quadro misto do uso de cannabis
O aumento na produção de ópio no Afeganistão representou um revés, afirma Fedotov, já que o maior produtor de papoula de ópio do mundo aumentou sua área de cultivo em 36%, de 154.000 hectares em 2012 para 209.000 hectares em 2013. Com um rendimento de cultivo de 5.500 toneladas, o Afeganistão representa 80% da produção global de ópio. Em Mianmar, a área sob cultivo de papoula cobriu 57.800 hectares, mantendo o aumento de cultivo iniciado após 2006. Em 2013, a produção global de heroína também voltou aos altos níveis testemunhados em 2008 e 2011.
Os Estados Unidos (EUA), a Oceania e alguns países da Europa e da Ásia tem visto usuários alternarem entre heroína e opioides farmacêuticos, uma tendência em grande parte ditada pelos baixos preços e acessibilidade; porém, enquanto usuários dependentes de opioides nos EUA estão trocando opioides farmacêuticos por heroína, usuários nos países da Europa têm substituido heroína com opioides sintéticos.
A disponibilidade global de cocaína diminuiu devido à queda na produção de 2007 a 2012. O uso de cocaína permanece alto na América do Norte, apesar de diminuir desde 2006. Enquanto o uso e tráfico de cocaína parecem crescer na América do Sul, a África tem testemunhado um aumento no uso de cocaína devido ao crescimento do tráfico pelo continente, enquanto o aumento do poder de compra tornou alguns países asiáticos vulneráveis ao uso de cocaína.
Globalmente, o uso de cannabis parece estar em declínio, mas a percepção de riscos menores à saúde levou a um maior consumo na América do Norte. Apesar de ser muito cedo para entender os efeitos de novos marcos regulatórios tornando legal o uso recreativo da cannabis em alguns estados dos EUA e no Uruguai sob certas condições, um maior número de pessoas procura por tratamento de transtornos relacionados a cannabis na maioria das regiões do mundo, incluindo a América do Norte.
As apreensões de metanfetamina mais que dobraram globalmente entre 2010 e 2012. A fabricação de metanfetamina se expandiu mais uma vez na América do Norte, com um grande aumento no número de laboratórios desmantelados nos EUA e no México. Das 144 toneladas de estimulantes tipo anfetamina apreendidos globalmente, metade foi interceptada na América do Norte e um quarto no Leste e Sudeste da Ásia. O número de novas substâncias psicoativas não reguladas no mercado global mais que dobrou, para 348, entre 2009 e 2013.

Controlando precursores, reduzindo a oferta de drogas ilícitas
A globalização do comércio de produtos químicos tornou mais fácil seu desvio de usos legais para ilegais. No entanto, o controle de precursores, os produtos químicos necessários para produzir drogas baseadas em plantas ou drogas sintéticas, tem tangivelmente reprimido tal desvio.
Entre 2007 e 2012, 15% do anidrido acético desviado para produzir heroína e 15% de permaganato de potássio usado para produzir cocaína foram interceptados. Durante esse período, apreensões de precursores de anfetaminas e metanfetaminas foram mais de duas vezes maiores que as apreensões das drogas em si. Declínios no uso de substâncias como LSD e ecstasy nos últimos anos também podem ser parcialmente atribuídos a melhoras no controle de precursores, que mantém o preço dos produtos químicos desviados alto e aumenta o custo de produção das drogas. No Afeganistão, o anidrido acético valia até US$ 430 por litro em 2011, acima dos US$ 8 de 2002, mas custava US$ 1,50 por litro nos mercados lícitos do mundo.
Conforme progressos têm sido feitos no rastreamento de precursores, criminosos têm desenvolvido novas técnicas como a criação de companhias de fachada e o desvio de precursores dentro dos países para evitar controles internacionais. Novos “pré-precursores” não regulados emergiram rapidamente como substitutos para os precursores controlados usados para produzir estimulantes tipo anfetamina. Fedotov pede maior vigilância: “Monitorar fluxos globais de produtos químicos é especialmente importante com o aumento da produção e do tráfico de drogas sintéticas, que não podem ser controladas através da abordagem tradicional de redução de oferta, como a erradicação de plantações”, afirma ele. “Um sistema de controle internacional robusto deve permanecer como uma estratégia chave em se tratando da redução da oferta”.

Anúncios

CURSO SUPERA SENAD PREVENÇÃO

21 ago

O curso SUPERA é promovido pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD) do Ministério da Justiça (MJ), oferecido gratuitamente por meio da parceria com a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e executado na modalidade de Educação a Distância (EaD) pelas equipes da Unidade de Dependência de Drogas (UDED) do Departamento de Psicobiologia da UNIFESP e do Departamento de Informática em Saúde (DIS).

O curso SUPERA (Sistema para detecção do Uso abusivo e dependência de substâncias Psicoativas: Encaminhamento, intervenção breve, Reinserção social e Acompanhamento) foi cuidadosamente elaborado por profissionais com grande experiência nas áreas de política sobre drogas, prevenção do uso e tratamento da dependência de crack, álcool e outras drogas.

O curso é parte integrante das atividades de prevenção da SENAD, que prevê, entre outras ações, a ampla capacitação de profissionais das áreas de saúde, assistência social, educação, justiça, segurança pública, conselheiros e lideranças comunitárias e religiosas.

Nesta 5a. edição foram disponibilizadas quinze mil vagas para profissionais das áreas de saúde e assistência social. Este curso tem carga horária de 150 horas/aula e os alunos que o concluírem receberão um certificado de extensão universitária registrado pela pró-reitoria de extensão (PROEX) da UNIFESP, juntamente com cópias de instrumentos para detecção do uso de crack, álcool e outras drogas.

Concluímos o processo de seleção e enviamos a todos os inscritos um e-mail com o resultado da seleção (remetente:sistema@supera.org.br). Como mais de 115.000 pessoas de inscreveram, estão previstas para início ainda neste ano mais duas edições. No segundo semestre de 2014 serão abertas as inscrições para a 6ª edição do SUPERA que prevê 30 mil vagas. Fique atento às informações neste site.

Link para inscrições para a 6ª edição do SUPERA: http://www.supera.senad.gov.br/custom/sup6/inscricao.php

O IMPACTO DA LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS É TEMA DE PALESTRA DE CONSELHEIRO DE OBAMA

12 ago

Link para a palaestra do Kevin Sabet – que pertence a equipe de Obama para a área da dependência Quimica.

http://spdmeducacao.com/imprensa/noticias/item/997-o-impacto-da-legalização-das-drogas-é-tema-de-palestra-de-conselheiro-de-obama
Grata

Maria Aparecida Trindade Furtado
Conselho Estadual de Políticas Sobre Drogas-CONED
Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania
Rua Antônio de Godoy, 122 – 5º – sala 56 – Santa Ifigênia – 01034-000 – SP
E-mail: mariaaparecidafurtado@sp.gov.br Tel.: (11) 3107 0202 – 3105 3669

Justiça Terapêutica propõe penas alternativas a usuários de drogas

16 ago

Imagem

A Coordenação de Políticas sobre Drogas, da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, participa todo mês do programa de Justiça Terapêutica no Fórum Santana. Desde 2003, promotores de Justiça que atuam no Juizado Especial Criminal, propõem a autores de infrações penais leves, que sejam abusadores ou dependentes de álcool e outras drogas, a condição de frequentar grupos de autoajuda, no lugar de impor sanções penais. Mais de 1.500 casos já foram atendidos.  Continue lendo

Comissão aprova fundo de prevenção contra alcoolismo

12 ago

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou na quarta-feira (31) a criação do Fundo Nacional de Prevenção e de Combate ao Alcoolismo (Funpreve), prevista no Projeto de Lei 3761/04, do deputado Wilson Santos (PSDB-MT). Com parecer favorável do deputado José Linhares (PP-CE), a proposta foi aprovada na forma do substitutivo do relator. Continue lendo

1º. Levantamento Municipal sobre Drogas

6 ago

Imagem(Assessoria de Imprensa 06/08/12)

Começaram o planejamento para o 1 Levantamento Municipal sobre Drogas, no qual consistirá cruzar informações dos diversos âmbitos: Hospitais, Comunidade terapêutica, Polícia Civil e Militar, Delegacia da Mulher, Dise entre outros órgãos públicos, para formar uma estatística sobre drogas no município de Avaré.

A ideia da ação é ter um número aproximado dos casos que estão relacionados, violência com drogas, acidentes com drogas, crimes com drogas, doentes com drogas e mortes com drogas.

Com o mapeamento dos grupos de risco, dos pontos críticos e diante dos números, será melhor a execução das ações de cidadania e prevenção, com direcionamento no foco do problema, criando a diminuição do impacto negativo das drogas na sociedade avareense.

O 1 Levantamento Municipal sobre Drogas, está previsto parapublicação no 1 semestre de 2014, conforme a Executiva do Conselho Municipal de Políticas Antidrogas de Avaré.

Alem da pesquisa, fazem parte do PROMAD outras ações como Curso de Agentes Multiplicadores, Palestras Antidrogas entre outras Ações.

 

Elaboração do Fundo Municipal Antidrogas

29 jul

Hoje, após reunião com o contador Jaime, servidor municipal, o Presidente do Conselho Cleber Antonello, sai com boas expectativas para a criação do fundo antidrogas de Avaré.

A ideia central da reunião é conseguir dotação para executar 3 bons eventos antidrogas em 2014 e progressivamente nos próximos anos.

Esse é outro marco, para as conquistas de políticas públicas de desenvolvimento social, direitos humanos e políticas antidrogas.

Assessoria de imprensa Comad Avaré

Municípios paulistas aderem ao ‘Programa Crack, é possível vencer’

26 jul

23/07/2013 14:40 – Portal Brasil

A política nacional de enfrentamento ao crack e outras drogas já alcança 28 municípios de São Paulo

 O Programa Crack, é possível vencer será estendido a mais 12 municípios do Estado de São Paulo. O governo federal deve fazer o investimento dos recursos para fortalecer a segurança pública e o atendimento em saúde e assistência social voltados ao cuidado e tratamento de dependentes químicos nas cidades de Barueri, Bauru, Campinas, Cotia, Embu das Artes, Franca, Guarulhos, Praia Grande, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Vicente e Taubaté. A cerimônia de assinatura do termo de adesão ao programa acontece nesta terça-feira (23), na Prefeitura Municipal de São Paulo.

A partir de agora, a política nacional de enfrentamento ao crack e outras drogas já alcança 28 municípios paulistas. Lançado em dezembro de 2011, o programa Crack, é Possível Vencer é um conjunto de ações do governo federal para enfrentar de forma intersetorial os problemas relacionados ao uso do crack e de outras drogas. A iniciativa tem o objetivo de aumentar a oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários de drogas, enfrentar o tráfico e as organizações criminosas e ampliar atividades de prevenção.

As ações estão estruturadas em três eixos: cuidado, autoridade e prevenção. O primeiro inclui ampliação e qualificação da rede de atenção à saúde voltada aos usuários. No eixo autoridade, o foco é a integração de inteligência e cooperação entre Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e polícias estaduais, a realização de policiamento ostensivo nos pontos de uso de drogas nas cidades, além da revitalização desses espaços. Já o eixo prevenção abrange ações nas escolas, nas comunidades e de comunicação com a população.

Já aderiram ao programa o Distrito Federal e mais 17 estados: Alagoas, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Acre, Santa Catarina, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Piauí, Paraná, Ceará, São Paulo, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pará e Goiás.

Saiba mais sobre o programa aqui

Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack

 Para auxiliar o planejamento e o monitoramento das ações nos municípios, foi criado dentro do Sistema de Informação e Monitoramento da Presidência da República (SIMPR) a área do programa Crack, é possível vencer. O acesso ao sistema é feito por meio deste endereço. Na fase inicial, somente os estados, o Distrito Federal e os municípios com população acima de 200.000 habitantes têm acesso ao sistema.

Saúde distribui ‘kit-fissura’ para ajudar fumantes a largarem o vício

19 jul

Damasco, cravo, canela e até casca da laranja viram armas contra o tabagismo

Paulo Alexandrowitsch/SES-SPO Cratod, que fica no bairro do Bom Retiro, na Capital, oferece o kitO Cratod, que fica no bairro do Bom Retiro, na Capital, oferece o kit

A Secretaria de Estado da Saúde decidiu distribuir o chamado “kit-fissura” para pacientes dependentes de cigarro atendidos no Cratod (Centro de Referência em Álcool, Tabaco e outras Drogas), serviço ambulatorial da pasta na capital paulista. O objetivo é oferecer uma espécie de ajuda emergencial para pessoas em tratamento nas horas em que elas ficam com desejo muito grande de fumar.

O kit é composto basicamente por fibras naturais, como damasco, uva passa, cravo, canela e casca crocante de laranja. Os alimentos são embalados em um saco plástico fechado e entregues gratuitamente nas quatro sessões iniciais do tratamento.

Continue lendo

Curso Febract

18 jul
image957[1]
Não percam nosso próximo curso dia 27! Inscrevam-se!
http://www.febract.org.br/?navega=agenda_cursos&categoria=21
%d blogueiros gostam disto: