Fechamento do CT São Francisco. G1

18/02/2013 18h45 – Atualizado em 18/02/2013 22h30

Dependentes químicos deixam clínica interditada em Avaré, SP

Remoção dos pacientes foi realizada nesta segunda-feira (18).
Vigilância Sanitária Estadual determinou fechamento após vistoria no local.

Do G1 Itapetininga e Região

Comente agora

Nesta segunda-feira (18), os 12 pacientes que viviam na Comunidade Terapêutica São Francisco, em Avaré (SP), foram transferidos. De acordo com o atual governo municipal, os pacientes foram levados para a Comunidade Terapêutica Nova Jornada, também localizada em Avaré.

A clínica municipal voltada para recuperação de dependentes químicos foi interditada após vistoria de agentes da Secretaria de Estado da Saúde, através da Coordenadoria de Controle de Doenças e Centro de Vigilância Sanitária. A unidade era administrada pela prefeitura.

Além dos objetos pessoais, todos os móveis da clínica também foram levados para o novo endereço dos internos. A prefeitura fez um contrato emergencial com a Nova Jornada por 30 dias. Durante este período, a prefeitura e os órgãos competentes vão estudar uma forma de implantar uma solução definitiva para o problema.

Interdição
Durante a vistoria, os agentes da Vigilância Sanitária apontaram irregularidades na Comunidade Terapêutica São Francisco como vazamento de esgoto, acúmulo de entulho no terreno, piscina vazia como possível criadouro da dengue e quantidade de quartos insuficientes. Para reabrir a unidade, a prefeitura terá que contratar funcionários capacitados e adequar o espaço físico para número de internos. O secretário municipal, Miguel Chibani, não descarta a possibilidade de efetivar o convênio com a comunidade particular e fechar definitivamente a clínica municipal.

Com os novos internos a comunidade Nova Jornada passa a atender 42 pessoas. De acordo com o coordenador pedagógico, Pablo Kurlander, a transferência de pacientes que vem de unidades com irregularidades não é novidade.

Acúmulo de entulho no terreno foi apontado como uma das irregularidades na clínica de Avaré (SP). (Foto: Reprodução TV TEM)Acúmulo de entulho no terreno foi apontado como
uma das irregularidades na clínica de Avaré (SP).
(Foto: Reprodução TV TEM)

Denúncia de omissão de socorro
A modelista Ana Cristina Reis da Silva registrou um boletim de ocorrência contra uma clínica municipal. O motivo alegado por ela é omissão de socorro. Segundo a mulher, o marido dela estava internado no local quando sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC). O fato ocorreu na última terça-feira (12) e o homem só foi socorrido na manhã da quarta-feira (13).

De acordo com a modelista, atualmente o marido está no Hospital da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Botucatu (SP). O estado de saúde dele é estável.

Silva conta que quando o marido passou mal, o caso foi levado ao diretor da clínica que não providenciou o socorro imediato. “Fui informada de que o monitor que atendeu meu marido está trabalhando na clínica havia três dias, portanto, não tinha experiência nenhuma neste assunto. Mesmo assim, ele comunicou ao diretor da clínica que o meu marido tinha desmaiado, que estava passado mal. O diretor não se interessou nem um pouco, não fez nenhuma questão de prestar socorro”, diz.

A Comunidade Terapêutica São Francisco é mantida pela Prefeitura de Avaré (SP). (Foto: Reprodução TV TEM)A Comunidade Terapêutica São Francisco era
mantida pela Prefeitura de Avaré (SP).
(Foto: Reprodução TV TEM)

A falta de socorro foi confirmada por outros internos. Sem querer ser identificado, um morador do local diz que ele o paciente ficou abandonado. “Foi um abandono. Ele ficou aí, a ‘Deus dará’ na comunidade. Sofreu um AVC e agora está em Botucatu entre a vida e a morte”, comenta.

De acordo com secretária Deira Visentin Villen, da Secretaria de Administração, Assistência e Bem-Estar Social, o caso chegou ao conhecimento da prefeitura. Segundo ela, a informação que chegou é que o homem teria saído da clínica e retornado algumas horas depois. “Quando começou a passar mal o monitor achou que ele estivesse embriagado e o colocou na cama. Houve a troca de turno e o monitor do dia seguinte percebeu que, na hora em que o homem se levantou, estava com um lado do corpo paralisado. Neste momento ele foi levado ao pronto-socorro”, conta.

Piscina também foi considerada irregular pelos agentes. (Foto: Reprodução TV TEM)Piscina também foi considerada irregular pelos agentes. (Foto: Reprodução TV TEM)

Para ler mais notícias do G1 Itapetininga e Região, clique em g1.com.br/tvtemitapetininga. Siga também o G1 Itapetininga e Região no Twitter e por RSS.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: